Bonzinho





Ele raramente discorda do que alguém diz. Está sempre sorrindo. É paciente quase o tempo todo, e quando se irrita, não demonstra. Evita ao máximo entrar em atrito com as pessoas. Leva desaforo pra casa. Engole seco. É amigo de todo mundo. Cumprimenta o motorista e o cobrador do ônibus, e sorri quando alguém pede desculpas por ter pisado no seu pé. Pede licença pra entrar e sair, está sempre pronto a fazer favores aos outros, agradece quando recebe algo. Quase impossível ouvir um "não de sua boca". Entre as mulheres, é o amigo legal para quem elas desabafam e contam que estão afim de outro cara. Entre os outros caras, é o sem personalidade. 

Ele é tudo isso aos olhos dos outros. Segundo a opinião popular, ele é o "bonzinho". 

Bonzinho é aquele cara que não chama a atenção das pessoas, para quem os outros olham com olhar de pena, e exclamam "ele é tão bonzinho", se por acaso ele virar assunto em alguma roda de amigos. Há os mais céticos que desconfiam da "bondade" do bonzinho, citando ditados de vó como "boi manso que derruba carroça", "lobo em pele de cordeiro", "é dos bonzinhos que eu tenho medo" e por aí vai. Mas na crença popular, o bonzinho é o cara ingênuo, bobo, que pode ser enganado facilmente, que pode ser ludibriado e nem percebe se for ignorado. 

Mas será que o bonzinho é tudo isso mesmo?

Arrisco dizer que em 90% dos casos, não. 

Bonzinho na verdade é o cara que tem preguiça de entrar nas mazelas da relação social, relação essa que insiste em tentar entender o outro e o adaptar ao seu mundo. O bonzinho é o cara que se relaciona superficialmente com todo mundo, não por ser ingênuo, mas por não ter a menor vontade de conhecer melhor quem não faz questão da sua presença. 

O bonzinho sabe que nem todo mundo é seu amigo, que nem todo mundo gosta dele como diz gostar e que nem todo mundo o vê como diz ver. Mas ele prefere manter a cordialidade com todos, pois além de evitar atrito com pessoas desnecessárias, pode filtrar os que vivem ao seu redor; ele distribui amizade, os amigos de verdade correspondem. Ele lança a rede. Os que voltarem são os que ele pode contar. 

O bonzinho tem total consciência de que o mundo é sim complicado, de que as pessoas não são boas e de que a qualquer momento alguém pode querer "ferrar" com sua vida e puxar seu tapete. Nesse caso ser bonzinho vira sua maior defesa; o bonzinho é o último a oferecer riscos, e sendo assim, consegue o que quer sem enfrentar grandes concorrências.

O bonzinho sabe que as mulheres em geral não se interessam por homens como ele. Mas quem disse que ele está interessado em mulheres que preferem os cafajestes? Deixe que elas quebrem a cara com os homens errados. Há, em algum lugar, uma mulher inteligente o suficiente para saber que esse é o tipo de sofrimento que pode ser facilmente evitado se ela tiver mais critérios para escolher seu homem, e dentro desses critérios o bonzinho é o cara que preenche quase todos os requisitos.  

Bonzinho é o cara que tem coisa mais importante pra fazer do que entrar nas discussões vazias e sem sentido que permeiam a rotina da maioria das pessoas, e prefere concordar com tudo a ter que manifestar opinião sobre as coisas ridículas que geralmente são tratadas como sérias por gente vazia e sem conteúdo. 

Bonzinho é o cara que vê todas as pessoas como iguais e merecedoras da mesma atenção, daí dedicar o mesmo tratamento a todos, desde o supervisor até o motorista do ônibus. 

Bonzinho diz sim pra todo mundo não por concordar com tudo e muito menos por ter medo de discordar, mas sim porque sabe que sua opinião própria é questão particular sua, e que é melhor concordar com os outros do que ter de dar satisfação sobre o que pensa.

Bonzinho não tem "paciência de Jó". Ele se irrita sim, se estressa como qualquer outra pessoa, mas ele resolve sua irritação e seu estresse de outro jeito. Em vez de descontar em quem vive ao seu redor ele prefere buscar a fonte da sua irritação e corrigir. 

Bonzinho é o cara que, na verdade, faz de tudo para viver bem. É o que guarda sua energia e emoções para as ocasiões certas, e em todas as outras ignora os fatos com sua suposta bondade. A bondade é sua forma de dizer "dane-se o mundo, eu quero é ficar bem". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade para comentar, acrescentar ou discordar de algo. Mas lembre-se que que escrevo aqui reflete apenas a MINHA opinião, e essa opinião pode nem sempre ser a mais ideal.

Caso tenha dificuldade de escrever por aqui (o Blogger sempre gosta de dificultar as coisas) envie email para weslleytalaveira@blognovasideias.com