Música para Cortar os Pulsos (@musicaparacortar)

Já divulguei aqui outro dia, e divulgo novamente a peça Música para Cortar os Pulsos, com Mayara Constantino (@mayacons), Kauê Teloli e Victor Mendes (todos particparam do seriado Tudo que é Sólido Pode Derreter, da TV Cultura).

Frank Sinatra- I've got you under my skin

É o Frank Sinatra. Qualquer comentário além disso torna-se dispensável...

Minha participação na TV Cultura


Valeu, @alvimdias, por postar o vídeo no Pimentas no reino, tb.

Bái.

"Morte e Vida Severina", por @Analiiy

Apesar de a @Analiiy não ter gostado do resultado final, eu gostei. Tanto que tô colocando aqui... haha

Laura: o mundo perdeu um anjo

Laura e o pai, Sandro

Há alguns meses eu acompanhava o drama da pequena Laura Bertoni Zanchettin, paranaense de 8 anos que vinha sofrendo à espera de um transplante de coração. A menina sofria de miocardiopatia dilatada do ventrículo esquerdo e diariamente recebia oito remédios, aplicados diretamente no coração, por meio de um catéter, para que o sangue seja bombeado para todo o corpo. Estava na UTI do hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, aguardando um doador. A doação, no caso de Laura, era mais difícil, porque era muito restritiva: o doador deveria ter morrido de morte cerebral, com idade próxima e estrutura corporal parecida com a de Laura.

Depois de aparecer em várias reportagens de jornais e emissoras de TV, entre elas no SBT, Laura ganhou uma vaga no InCor, em São Paulo, para aqui fazer o tratamento. Além de receber toda a estrutura de UTI aqui, acreditava-se que seria mais fácil achar um doador.

Mas Laura teve complicações ao chegar em São Paulo. Logo após desembarcar, foi socorrida no Hospital Avicena, no bairro Belém, e acabou não resistindo, vindo a falecer.



Só nos resta lamentar. Uma linda menina, que lutou a todo momento pela vida e sem fazer qualquer questionamento ou reclamação, foi vencida pela doença.

Meus sentimentos à família.

Minha entrevista para o programa Informe-se, no Canal Universitário


Essa semana dei uma entrevista bastante agradável à jornalista Rose Cianci, no programa Informe-se, da TV Unisa - Canal Universitário.

Na entrevista falei sobre o Projeto Boca do Lixo, projeto acadêmico que apresentei na universidade e que virou PL na cidade de São Paulo, e falei também sobre os desafios que todo univertitário enfrenta durante o TCC.

A entrevista pode ser vista durante a programação da CNU, canal 11 da NET e 71 e 180 da TVA, ou ao vivo no site da emissora. Veja aqui a programação.

Last Minutes with ODEN

Atenção: se você não está afim de chorar, fique longe desse vídeo.

Últimos Minutos com Oden é um mini-documentário feito por Jason Wood, contando as últimas horas do se cachorro Oden, que teve de ser sacrificado por conta de um câncer. O vídeo ganhou, merecidamente, o prêmio Vimeo Festival Awards.

Aí onde você está dá pra chorar feito criança? Então assista:

Last Minutes with ODEN from phos pictures on Vimeo.

R.I.P. Andy Irons



Morreu ontem o surfista Andy Irons, aos 32 anos, provavelmente de dengue hemorrágica.

Andy Irons deveria disputar esta semana a 9.ª etapa do circuito mundial da ASP, em Porto Rico; mas, não se sentindo bem, abandonou a prova para regressar ao Havaí. Em uma das paradas, na cidade americana de Dallas, passou mal e não conseguiu embarcar. Foi encontrado morto por um funcionário do hotel por volta das 10h, horário local.

A esposa de Irons, Lyndie, está grávida de 8 meses, e o aguardava de volta ao Havaí.

Não sou ligado em nada que se refira a surf, conheço pouquíssimo sobre isso. Mas a morte de um atleta competente como Andy, que era visto como modelo a milhares de surfistas no mundo, é algo a se lamentar. Aliás, a morte é algo a se lamentar, seja de quem for.

Lamento a perda!

Roberto Gomez Bolaños: "Fue sin querer queriendo"


Duvido que algum de vocês não tenha visto pelo menos uma vez na vida um episódio de Chaves, seriado mexicano que é exibido no Brasil pelo SBT há anos, e será transmitido pela Nickelodeon a partir de novembro. Mesmo com episódios repetidíssimos e que já conhecemos de cor, ainda assim Chaves consegue nos arrancar boas risadas.

Roberto Gómez começou sua carreira de ator, com o pseudônimo Chespirito em 1960 na TV mexicana Televisa. O nome veio do apelido que um amigo diretor de cinema lhe deu. Como Roberto é baixinho (1,60m) e o amigo o considerava tão talentoso como Shakespeare, lhe criou o nome Chespirito. Aos poucos, Chespirito foi criando seus personagens, como Doutor Chapatín, Chapulín Colorado e El Chavo, que lhe renderam sucesso e ganharam não só a América Latina, mas o mundo. Seus personagens hoje são vistos em mais de 90 paises, entre eles Japão, Alemanha, Inglaterra, Espanha. No Brasil, apenas os personagens Chapolín e Chaves ganharam projeção, mas o suficiente para fazer dele um dos humoristas estrangeiros mais assistidos no país, além de ser ainda hoje uma das maiores audiências do SBT.

Roberto Gómez Bolaños é pra mim um dos maiores talentos que a América Latina já conheceu. Conseguiu cativar o mundo em várias gerações com um humor simples, ingênuo, com seus personagens cômicos e desastrados. Roberto se tornou um ícone do entretenimento, além de ser a prova de que o humor não depende da conotação sexual para ser bom.

Coloco aqui uma entrevista que ele deu para uma emissora de TV colombiana no ano passado, já com seus 80 anos de idade. Além de ser o retrato vivo do humor latinoamericano, Roberto Gómez Bolanos é também a história da própria América Latina, que ele sempre retratou em seus personagens.

Segue a entrevista:

















Cindy Crawford:"melhor do que há 20 anos atrás"

Aos 44, Cindy Crawford mostra que continua na ativa e tão linda como sempre.

Em entrevista à revista Vogue indiana, Cindy diz estar muito mais madura e segura de si do que no início da carreira. Disse se sentir "melhor do que há 20 anos atrás". Ela posou para um ensaio sexy para a revista.





Não sei se melhor do que há 20 anos, mas tçao linda quanto, isso sim. COM CERTEZA!